Campanha Educativa em Prol do Arritmologista

campanha-arritmologista

“Porque para cada doença, existe um profissional especializado”

A SOBRAC – Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas – realiza a campanha educativa pela valorização do Arritmologista e destaca a importância do especialista para a população leiga e profissional no tratamento e diagnóstico das arritmias cardíacas, que podem provo
car morte súbita e AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Composta de diversas ações de comunicação, a campanha contextualiza as atribuições do profissional, como diagnosticar, avaliar e tratar as arritmias cardíacas através de estudos eletrofisiológicos, ablação por cateter, implante de marca-passo ou cardioversor desfibrilador implantável (CDI).

A SOBRAC é a principal entidade de capacitação do arritmologista no Brasil e é reconhecida internacionalmente pelo seu trabalho.

“No Brasil, existem poucos especialistas na área de arritmologia e eletrofisiologia cardíaca (em torno de 150), considerando uma população de 200 milhões de habitantes. Quanto mais preparado estiver o especialista, melhores serão os resultados oriundos de procedimentos de alta complexidade”, relata o cardiologista Luiz Magalhães, Presidente da SOBRAC.

Desta forma, a Campanha orienta a população para a necessidade de acompanhamento das arritmias cardíacas por um profissional que tenha a qualificação comprovada (Arritmologista) por uma sociedade médica de referência (SOBRAC).

Habilitação pela SOBRAC

Habilitação pela SOBRAC

O processo de habilitação profissional é levado muito a sério na SOBRAC. Os critérios utilizados para o candidato ser avaliado nas provas são extremamente rígidos, tais como apresentar título de especialista em cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e treinamento em centro formador por dois anos.

A prova realizada tem aprovação restrita. A SOBRAC é uma das poucas sociedades médicas que requer uma prova prática no processo de habilitação, o que garante que o candidato tenha não somente conhecimento teórico, mas também habilidade manual e perfil psicológico adequado para praticar a arritmologia.

A SOBRAC tem a incumbência da avaliação na área de atuação em Eletrofisiologia, através de prova teórica e prática, que é reconhecida oficialmente pela SBC e pela Associação Médica Brasileira (AMB), e também confere com Certificação de Proficiência em Arritmia Clínica (Arritmologia), que caracteriza o profissional como hábil para a realização de avaliação clínica e exames complementares não invasivos em arritmia.

Arritmologista

A arritmologia é uma subespecialidade da cardiologia que se dedica ao diagnóstico e tratamento invasivo das arritmias cardíacas. Inicialmente, o arritmologista realiza o estudo eletrofisiológico para diagnosticar precisamente os distúrbios do coração, que pode estar fora do ritmo devido a uma bradiarritimia, quando o coração bate mais lentamente, ou taquicardia, quando bate mais rapidamente que o normal.

Diagnóstico

Diagnóstico

Os sintomas de uma arritmia cardíaca incluem, por exemplo, palpitação (batimentos acelerados ou lentos), batidas fora do ritmo, mal-estar, suor excessivo, desmaio, perda de consciência, dor torácica. Elas podem ser constatadas através de exames de rotina ou estudo eletrofisiológico.

Estudo eletrofisiológico

O estudo eletrofisiológico está indicado para descobrir as causas de sintomas como palpitações, tonteiras ou desmaios.

Trata-se de um teste provocativo, através de cateteres (fios flexíveis), que permite realizar uma avaliação da integridade do sistema elétrico do coração.

Ao estimular o coração, o teste induz arritmia cardíaca em pacientes com predisposição. Comprovada a existência de uma arritmia, o profissional realiza como tratamento padrão a cauterização no local afetado, com a realização da Ablação por Cateter.

No diagnóstico de taquicardias, através do eletrocardiograma, o estudo eletrofisiológico verifica ainda o risco de morte súbita.

Tratamentos

Tratamentos

Eletrofisiologia invasiva

Técnica mais moderna de tratamento das arritmias cardíacas, especialmente para as taquiarritmias / taquicardias (coração acelerado) acompanhadas de sintomas como palpitações, desmaios ou tonteiras que nem sempre podem ser tratadas com remédios. O médico também pode optar pelo procedimento quando o paciente não quer tomar drogas antiarrítmicas por longo prazo.

Ablação por Cateter

Quando o estudo eletrofisiológico localiza os focos de uma arritmia cardíaca, um dos métodos de tratamento é a Ablação por Cateter, ou seja, a cauterização desses focos com aplicação de energia de radiofrequência, por meio de cateteres.

A Ablação por Cateter é realizada em ambiente hospitalar, sendo um procedimento simples, de baixo risco e sem a necessidade de abertura do tórax, com internação hospitalar de 24 horas.

Após o procedimento, o paciente fica livre dos medicamentos.

Tratamento Medicamentoso:

Vários medicamentos são úteis para o tratamento das arritmias, como os antiarrítmicos, usados para o controle da frequência cardíaca, os antiplaquetários, que ajudam a impedir a formação de coágulos, e os anticoagulantes, para a prevenção de embolia no tratamento da Fibrilação Atrial.

Dispositivos Implantáveis:

Implante de marca-passo e Cardioversor Desfibrilador Implantável (CDI)

Marca-passo: o implante é recomendado para casos de ritmos cardíacos lentos, responsáveis por tonturas, perda de consciência, cansaço e até a morte súbita. Caso não haja reversão do distúrbio do ritmo do coração, a opção é o implante do marca-passo, que consiste em uma cirurgia simples. Geralmente, após uma semana do implante a maioria dos pacientes volta ao seu estilo de vida, com pouca ou nenhuma limitação.

Cardioversor Desfibrilador Implantável (CDI): trata-se de um pequeno aparelho, produzido com titânio e acoplado com uma bateria (gerador) de longa duração, implantado no tecido subcutâneo, na região do tórax.

O CDI detecta as frequências cardíacas anormais, taquiarritmia (batimento cardíaco acelerado) ou fibrilação ventricular, e libera impulsos elétricos ou choques controlados, regulando o ritmo do coração.

A indicação para este tipo de tratamento é para pacientes que já tiveram episódios de fibrilação ventricular, foram submetidos a uma reanimação ou quando os medicamentos não controlam mais as taquiarritmias de risco.

Modo de Estimulação (CDI)

Estimulação antitaquicardia e antibradicardia: quando o CDI emite pulsos elétricos fracos em rápida sequência;

Cardioversão: emite um choque fraco, de carga menor que um choque de desfibrilação;

Desfibrilação: emite um choque forte. Em casos mais graves, o choque é aplicado, sequencialmente, diversas vezes.

Mapeamento Eletroanatômico

O mapeamento espacial das arritmias cardíacas é realizado com um equipamento que reproduz imagens tridimensionais do interior do coração, sem uso de Raios-X.

O mapeamento eletroanatômico é utilizado para detalhar o foco de origem da arritmia, dando suporte essencial na ablação por cateter.

Materiais da Campanha

Materiais da Campanha

– Logo
– Entrevista – Dr. Luiz Magalhães – Presidente da SOBRAC (Agência RádioWeb) (Em Breve)
– Infográfico Arritmologia

– Anúncio Revista
Áudio-release produzido pela Agência Rádio Web

Imprensa: http://www.sobrac.org/home/?p=40

Sala de Imprensa

Contatos de imprensa para o agendamento de entrevistas, cobertura de atividades ou pedido de mais informações sobre a campanha devem ser realizados com a Assessoria de Imprensa da SOBRAC:

Baruco Comunição Estratégica

Fones: (11) 3539-9901 / E-mail: info@baruco.com.br

Atendimento:

Aline Aprileo / E-mail: aline.aprileo@baruco.com.br / Telefone: (11) 96986.6278

Erika Baruco / E-mail: erika@baruco.com.br / Telefone: (11) 99900.7448

Ricardo Berlitz / E-mail: berlitz@baruco.com.br / Telefone: (11) 99645.2067

 

#arritmologista

Informações Baruco Releases Sobrac na Mídia Guia de Imprensa