COMPARTILHE! #coraçãonabatidacerta

A Vida de um Portador de Arritmia Cardíaca

Atividade física

É fato que toda atividade física regular de baixa intensidade é protetora para o coração, inclusive para algumas arritmias. De modo geral, a mais indicada é aquela que pode ser praticada com regularidade, de 3 a 5 vezes por semana.

Exercícios de alta intensidade podem aumentar a ocorrência de arritmias cardíacas e morte súbita. Sobretudo quando não são realizados exames preventivos.

Em todos os casos é imprescindível procurar um cardiologista antes de iniciar qualquer atividade esportiva, seja ela moderada ou de alta intensidade.

Mesmo portadores de dispositivos implantáveis podem prosseguir suas rotinas, atividades físicas e melhorar cada vez mais a sua qualidade de vida. Mas sempre tendo a recomendação de um cardiologista.

 

Dicas Gerais para portadores de dispositivos implantáveis:

Desfibrilação – O Desfibrilador Externo Automático – utilizados pelo SAMU ou por equipe de socorro treinadas e permanente em locais públicos – pode interferir nos geradores de dispositivos implantáveis, como marca-passo e desfibriladores e provocar disfunção temporária, permanente ou mesmo interrupção da estimulação.

O posicionamento das pás do desfibrilador deve respeitar uma distância mínima de 15 cm da unidade geradora e deve-se aplicar o choque perpendicularmente ao eixo formado entre o gerador e a ponta do eletrodo.

Vale ressaltar que, em portadores de Cardioversor Desfibrilador Implantável e fibrilação atrial, a cardioversão pode ser realizada através do próprio aparelho, com sedação e choque programado.

 

Radioterapia

A exposição do gerador a doses cumulativas pode provocar a perda de elementos fundamentais da bateria ou modificar a sua função principal.

A radiação terapêutica pode ser realizada, desde que se delimite o local de atuação e o gerador esteja protegido por chumbo e reprogramado para modo assíncrono. Não devem ser realizadas aplicações a menos de 5cm do gerador. Nos casos em que seja necessário o tratamento prolongado ou a utilização de radioterapia na região (nos casos de câncer de mama ou pulmão), o gerador deve ser explantado e reposicionado contralateralmente à região irradiada.

 

Celular
A maior incidência de interferência ocorre quando o telefone celular está colocado diretamente sobre o próprio gerador do marca-passo. Entretanto, o uso do telefone no ouvido foi associado com a menor incidência de interferência, sem qualquer evento clinicamente significativo.

Estudos demonstraram que telefones celulares não interagem com CDI, mesmo quando o telefone celular encosta a pele que recobre o gerador. Em geral, recomenda-se manter uma distância mínima de 15 cm para os telefones celulares, devendo ser utilizados no ouvido contralateral à localização do gerador. No caso de implante peitoral, não se deve portar o telefone próximo ao gerador.

 

Aparelhos digitais

Aparelhos de música digital e outros similares podem causar interferências por telemetria, mas provavelmente não interagem diretamente com os dispositivos. Em um estudo com 67 pacientes, a interferência na telemetria do programador com o marca-passo foi observada em 16% dos pacientes, sem nenhuma observação de alteração real, mesmo quando um aparelho digital (MP3 player, iPod) foi colocado diretamente sobre o CDI. Em um outro estudo, os pacientes foram expostos aos diferentes tipos de iPod, por 1 minuto cada, na presença e ausência de telemetria. Ocorreu interferência na telemetria em 36,4% dos testes. Nenhum dos testes, contudo, mostrou qualquer evidência de interferência direta quando a telemetria foi removida. Geralmente, os pacientes com dispositivos não devem ser desencorajados ao uso de fones de ouvido portáteis, embora precisem ser avisados para mantê-los distante do gerador, minimizando o risco potencial de interferência magnética.

 

Eletrodomésticos em geral

Apesar de inúmeras fontes domésticas serem passíveis de causar interferência sobre os dispositivos implantáveis, tais como microondas, telefone sem fio, controle remoto, entre outros, atualmente não há a necessidade de restringir o uso de tais aparelhos aos portadores de dispositivos.

 

A SOBRAC apoia o site Pacemaker Users

Conheça: pacemakerusers.com.br